• Av. Tiradentes, 998 7º andar, Luz - SP
  • (11) 3929-5779
  • secretaria@sindautoescola.org.br

Vai uma vistoria aí?

O alto número de pedidos de vistoria indica uma preocupação dos empresários do setor em adequarem suas Autoescolas/CFC’s as novas normas e mostra um interesse cada vez maior em investir e aprimorar seu atendimento e qualidade dos serviços prestados

 

     

 

Por Revista Autoescola (78)
Criado em 12/07/2018 - Última modificação em 12/07/2018
Acessos: 433

 

Um levantamento dos últimos 12 meses apresenta números interessantes sobre as vistorias que são realizadas pelo Sindautoescola.SP – em conjunto com o Detran.SP – para mudanças de endereços, alteração de categoria e aberturas de novas Autoescolas/CFC’s. Preocupação antiga do Sindicato, a abertura de novas empresas ainda vem acontecendo com frequência.

– CLIQUE: Leia a Edição 78 da Revista Autoescola na íntegra

No entanto, o gráfico abaixo também chama atenção para os casos de vistoria para mudança de endereço e alteração de categoria. Atualmente, é possível dizer que para transformar uma Autoescola/CFC A (teórico) ou B (prático) em AB é um processo burocrático – e carece de um certo investimento.

Ainda assim, nota-se um alto número de vistorias para transformação das empresas em AB, com a intenção de reunir no mesmo estabelecimento o processo de habilitação teórico, pré-prático (simulador) e prático. Isso aponta para um interesse maior dos empresários em não somente cumprirem o que as legislações atuais pedem, como também em oferecer aos seus clientes/alunos condições mais adequadas e cômodas durante sua formação.

“Nosso propósito é aprimorar a qualidade do serviço prestado por nossos representados e consequentemente a melhora no processo de formação de condutores”, diz o presidente do Sindicato, Magnelson Carlos de Souza. “E isso vem sendo reforçado por essas empresas que tem o interesse em se adequar ao que vem sendo exigido pelas legislações cada vez mais atualizadas e modernas”, completa.

A Portaria Detran.SP nº 101/16, responsável por estabelecer os procedimentos para credenciamento de Autoescolas/CFC no estado de São Paulo alterou algumas das exigências para abertura de empresas classificadas como AB. O foco agora está nos recursos humanos, que deve ser capaz de atender a demanda de todo o processo de habilitação no mesmo local ao invés do que era exigido pela antiga legislação, que priorizava, nesses casos, possuir todos os veículos de aprendizagem.

Porém, nem tudo é visto com bons olhos pelo Sindicato. Uma preocupação antiga da entidade tem sido a abertura indiscriminada de novas Autoescolas/CFC’s. O gráfico registra um ainda frequente número de novos credenciamentos. “Essa abertura indiscriminada de novas Autoescolas/CFC’s é preocupante, no sentido de que se não é feito uma devida distribuição geográfica desses credenciamentos, o que acaba ficando em evidência é a quantidade ao invés da qualidade”, afirma o presidente Magnelson.

A Resolução Contran nº 358/10 impõe aos Departamentos Estaduais de trânsito que, periodicamente, seja elaborada e revisada a distribuição geográfica das Autoescolas/CFC’s. Com isso, no estado de São Paulo, fica a cargo do Detran.SP ter – e manter – o controle sobre as aberturas de novas empresas.

Porém, é um trabalho que ainda não foi colocado em prática pelo órgão. “Em nossas reuniões com o Detran-SP e suas diretorias, temos solicitado constantemente o cumprimento dessa regra e nos colocando à disposição para trabalhar em conjunto para elaborar essa distribuição geográfica”, afirma o presidente Magnelson.

 

Leia sobre

revista autoescola 

 

Estamos no WhatsApp!

Cadastre seu número para receber diariamente nossas notícias