O governador João Doria (PSDB) anunciou em coletiva de imprensa na tarde desta sexta-feira (15) a reclassificação do Plano São Paulo. Oito regiões do estado tiveram suas fases alteradas. A região de Marília voltou para a fase vermelha e mais sete regiões foram rebaixadas para a fase amarela.

As regressões ocorrem após a piora dos índices no estado, que fez com o que o governo antecipasse a reclassificação do plano. Antes, as possíveis mudanças aconteceriam no dia 5 de fevereiro.

O que muda na fase vermelha

Apenas os serviços essenciais podem funcionar.

• O curso teórico remoto pode continuar sendo ministrado.

• O Sindicato já reiterou a solicitação ao Detran.SP para que seja permitido a realização das aulas práticas mesmo na fase vermelha. O órgão ainda não se manifestou.  

O que muda na fase laranja

Na semana passada, o estado alterou o regramento da fase laranja. Setores que antes eram proibidos, como salões de beleza, academias e parques, agora podem funcionar.

• Todos os setores de comércio e serviços passam a ser permitidos. A exceção é o atendimento presencial em bares, que continua proibido.

• Funcionamento máximo: ampliado de 4 para 8 horas por dia.

• Horário de fechamento: atendimento presencial só poderá ser feito até 20h.

• Autoescolas: podem abrir.

• Capacidade do curso teórico: o entendimento do Sindicato é que até um novo posicionamento oficial do Detran.SP, a capacidade das salas de aula do curso teórico presencial continua sendo de 50%.

Como fica a fase amarela

• Atendimento presencial ao público pode ser feito até as 22h, em todos os setores, exceto no setor de bares, que pode funcionar até as 20h.

• Horário de funcionamento limitado a 12 horas por dia para todos os setores, exceto restaurantes, que devem respeitar o limite de 10 horas.

• Capacidade do curso teórico: assim como na fase laranja, o entendimento é que a capacidade das salas de aula do curso teórico presencial continua sendo de 50%.